APENASEU

Tuesday, February 22, 2011

Hoje sinto-me...


...Medieval.

Que soidade de mia senhor hei

Que soidade de mia senhor hei
quando me nembra dela qual a vi,
e que me nembra que bem a oí
falar; e por quanto bem dela sei,
rogu'eu a Deus que end'há o poder,
que ma leixe, se lhi prouguer, veer

cedo; ca, pero mi nunca fez bem,
se a nom vir, nom me posso guardar
d'ensandecer ou morrer com pesar;
e, porque ela tod'em poder tem,
rogu'eu a Deus que end'há o poder,
que ma leixe, se lhi prouguer, veer

cedo; ca tal a fez Nostro Senhor,
de quantas outras no mundo som
nom lhi fez par, a la minha fé, nom;
e poi-la fez das melhores melhor,
rogu'eu a Deus que end'há o poder,
que ma leixe, se lhi prouguer, veer
cedo; ca tal a quis Deus fazer
que, se a nom vir, nom posso viver.

D. Dinis

Foto: Pascal Renoux

4 Comments:

  • Originalíssimo!!!!
    Parabéns pela lembrança.

    By Blogger pinguim, at 2:05 PM  

  • LOL! D. Dinis deve estar satisfeito , lá onde estiver ;D
    A poesia galaico-portuguesa é uma coisa que sempre adorei. Não resisto a mostrar alguns destes textos aos meus alunos.

    By Blogger S.M., at 2:30 PM  

  • tu não resististe... e os teus alunos resistem? cada vez mais parecem aliens sem cultura ou passado cultural nenhum. mas também adoro a lírica medieval e o português tão singular!

    abraços

    By Blogger Zoninho, at 4:01 AM  

  • Olha, Paulo, os meus alunos acham-me meia "pirulas", mas acabam por achar alguma piada aos excertos de cantigas que eu vou citando para exemplificar isto ou aquilo. E adoram as "partes escabrosas", como por exemplo a simbologia dos "cervos do monte a augua volviam"...ehehehe

    By Blogger S.M., at 2:04 PM  

Post a Comment

<< Home